Setembro Amarelo: Pronatec realiza campanha de prevenção ao suicídio

Publicado em: 01-10-2018


O Setembro Amarelo é um movimento mundial de conscientização sobre o suicídio. Neste ano, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) da Universidade de Rio Verde – UniRV realizou uma série de atividades em busca do diálogo junto aos alunos dos cursos técnicos em Açúcar e Álcool e em Manutenção e Suporte de Informática.

A campanha está sendo realizada nas cidades de Santa Helena de Goiás e Formosa, coordenada pelos docentes Estéverson Oliveira Lima e Marcos Gomes Araújo, respectivamente, com o objetivo de desmistificar questões sobre o suicídio e melhorar a qualidade de vida da comunidade escolar.

Diante da realidade presente no universo acadêmico, a coordenadora geral do Pronatec, professora Ma. Maria Flavina das Graças Costa acredita que o assunto merece atenção de toda a comunidade acadêmica. “É importante entender que existe uma diferença entre gerações, e esse contexto tem trazido novos desafios ao ambiente acadêmico e modificado as formas de relacionamento, inclusive na perspectiva professor-aluno. Termos o apoio das pessoas próximas é fundamental para nossa qualidade de vida. Caso essas dificuldades resultem em sofrimento mental ou intensifiquem algum tipo de transtorno, é fundamental buscar ajuda de um profissional de saúde da área”, explica. 

Um problema mundial

O suicídio é a principal causa de morte violenta no mundo, com 11,4 óbitos para cada 100 mil habitantes. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada 40 segundos, uma pessoa morre por suicídio. O Brasil é um dos 29 países que não conseguiram reduzir as mortes autoprovocadas no período de 2000 a 2012, de acordo com a OMS, chegando ao equivalente a 32 mortes diárias em 2012, mesmo patamar dos falecimentos decorrentes do HIV.

Os índices também têm crescido entre os jovens. De acordo com a Associação Brasileira de Psiquiatria, o suicídio corresponde a 3% do total de óbitos entre jovens e adultos jovens do sexo masculino. Na faixa etária dos 15 aos 29 anos, o ato representa 8,5% das causas de morte em todo o mundo, perdendo apenas para os acidentes de trânsito.
 
 
Fotos: Pronatec