Docente da UniRV defende tese de Doutorado

Publicado em: 23-04-2019


Estudo coletou larvas de 21 espécies de área agrícola e 9 de Unidade de Conservação

Na última quinta-feira, 18, o professor da Faculdade de Ciências Biológicas da Universidade de Rio Verde - UniRV, Rinneu Elias Borges defendeu a sua tese de doutorado “Avaliação anatomofuncional e biomarcadores genotóxicos de girinos coletados em áreas agrícolas e em reserva biológica, na região sudoeste do estado de Goiás”, pelo Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal da Universidade Estadual Paulista (UNESP/São José do Rio Preto - SJRP).

A banca foi composta pelos docentes Classius de Oliveira (Orientador - UNESP/SJRP), Rodrigo Zieri (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo - IFSP), Monica Jones Costa (Universidade Federal de São Carlos - UFSCar), Rafaela Maria Moresco (Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE) e Vitor Hugo Mendonça do Prado (Universidade Estadual de Goiás - UEG).

O presente trabalho resultou na publicação de mais dois artigos em revista B1 (na área de Biodiversidade) intitulados “Monitoring the morphological integrity of neotropical anurans” e “Genotoxic evaluation in tadpoles associated with agricultural in the central cerrado, Brazil”. Segundo o autor, o primeiro se refere à malformação em anuros causados por pesticidas agrícolas, trabalho pioneiro no cerrado.

Resumo da tese de Doutorado

A crescente demanda para produções agrícolas e o consequente uso de agrotóxicos nas lavouras vem se tornando foco das atenções sobre o uso e as consequências destes contaminantes químicos ambientais. Utilizando-se de anuros coletados em ambientes agrícolas e em uma Unidade de Conservação, o Parque Nacional das Emas (PNE), ambos região Sudoeste do estado de Goiás, investigou-se a influência de contaminantes de origem agrícola nos aspectos anatomorfológicos em larvas de anuros, bem como as possíveis alterações genotóxicas desses compostos. Para isto, foram coletadas larvas de anuros de 21 espécies de área agrícola e 9 da Unidade de Conservação, em diferentes ambientes. Análises de malformações no padrão morfológico, bem como análises de alterações eritrocitárias foram realizadas nessas 21 (ou 27) espécies.

Os resultados demonstraram alta porcentagem de anormalidades em anuros provenientes de agroecossistemas, quando comparados aos de ambiente natural. Entretanto, as análises de alterações eritrocitárias nucleares nas larvas não mostram significância para a formação de micronúcleo em girinos entre os ambientes estudados. No entanto, foi registrada uma maior frequência de células reniformes em girinos de ambiente antropizado. Portanto, o estudo aponta que girinos associados à ambientes agrícolas são mais suscetíveis a algum tipo de alteração morfológica, o que reforça a importância da preservação de áreas originais e ainda um olhar mais crítico quanto ao uso de pesticidas em lavouras.
 
 
Fotos: Faculdade de Ciências Biológicas